Mensagem: Por um 2024 mais amoroso e solidário

mensagem

*Diácono Márcio José Ribeiro

Pela primeira vez em seus 55 anos de história, a Caritas Arquidiocesana de São Paulo (CASP) tem à sua frente um diácono. Me senti bastante honrado com a confiança depositada pela Arquidiocese de São Paulo e assumi o desafio com muita alegria e, também, com um senso da enorme responsabilidade que teria pela frente. Afinal, pela direção da CASP passaram gestores religiosos que contribuíram para erigir o respeito e reconhecimento que esse organismo ligado à Igreja Católica vem conquistando ao longo do tempo.

Mas, devo dizer, não foi por méritos próprios que o Diácono Márcio José Ribeiro foi chamado para essa missão prestada de maneira voluntária. Estou certo de que se tratou de um reconhecimento da Arquidiocese de São Paulo, particularmente na figura do Cardeal Odilo Pedro Scherer, de que essa também é uma atribuição de responsabilidade própria do ministério diaconal.

Nesse primeiro ano à frente da Caritas Arquidiocesana de SP, conseguimos realizar muitas coisas, com o intuito de cumprir a missão da CASP: olhar e cuidar dos nossos irmãos e irmãs em situação de vulnerabilidade social e econômica da cidade de São Paulo, buscando contribuir para a construção de uma sociedade mais fraterna.

Manifesto aqui a minha alegria por ter estado próximo dos funcionários, agentes e voluntários da CASP muito comprometidos com a missão e o exercício da caridade de forma organizada, fundamentalmente para o “Ser Igreja”.

Ao longo de 2023, nos engajamos em diversas campanhas, como a do Agasalho; SOS Litoral Norte e também para as vítimas das chuvas no Rio Grande do Sul; realizamos atividades por ocasião do mês dos refugiados, em junho; celebramos um ano da Casa de Acolhida Todos Irmãos, em Guarulhos; fizemos o Caritas Portas Abertas; tivemos diversas ações realizadas pelos seis Núcleos Regionais, com destaque para aquelas inseridas no contexto do VII Dia Mundial dos Pobres… Enfim, foram muitas as atividades.

Motivados pelo Amor de Deus

Para o próximo ano, continuaremos engajados e motivados pelo Amor de Deus a amplificarmos as ações iniciadas neste ano, pois promover a caridade requer enfrentar os enormes desafios de uma sociedade mergulhada em inúmeras necessidades, como a brasileira.

Que a CASP possa, juntamente com outras entidades ligadas à Igreja Católica, acolher e promover nossos irmãos e irmãs que precisam de nosso olhar e cuidado. Esse tem sido, ao longo dos séculos, o papel da Igreja.

Por isso, queremos contar cada vez mais com nossos Núcleos Regionais para continuarmos articulando a caridade nas regiões onde estão suas bases. A proximidade nos permite o exercício da escuta e, assim, construímos os pilares para dirimirmos as carências mais urgentes dos irmãos e irmãs aflitos.

Em 2024, queremos trabalhar ao lado da Arquidiocese dentro de uma nova estruturação da caridade organizada a partir dos resultados do Sínodo Arquidiocesano de São Paulo, iniciado em 2017, cujo tema é “Caminho de comunhão, conversão e renovação missionária”, em sintonia com o que pede Papa Francisco a toda a Igreja.

Diante de todos os desafios que estão sendo impostos à humanidade, com destaque para as mudanças climáticas e suas consequências na vida do planeta, precisamos caminhar juntos com o povo de Deus.

Papa Francisco

Por essa razão, a encíclica Laudato si’ e a exortação apostólica Laudate Deum, de Papa Francisco, norteará nossos trabalhos a partir de 2024, pois acreditamos que a questão ambiental é um tema da máxima urgência, com impactos significativos ao serviço prestado pela CASP às pessoas em situação de refúgio.

Encerro agradecendo a todos os colaboradores, agentes e voluntários da CASP que possibilitaram todas as conquistas de 2023. E manifesto também, em nome de toda a direção, gratidão aos parceiros e doadores sem os quais nossa missão não ganharia a dimensão que tem.

Que em 2024 continuemos, coletivamente, sendo instrumentos do Amor de Deus Pai para a construção de uma sociedade mais fraterna, onde todos possam, indistintamente, se sentir acolhidos e amparados.

*Diretor da Caritas Arquidiocesana de São Paulo

Compartilhe essa notícia: